Demanda do mercado por técnicos em edificações garante bom salário e empregabilidade

0

A construção civil tem se destacado no momento de superação da crise brasileira, com oportunidades de trabalho, negócios e uma projeção otimista em relação ao mercado. Para tanto, necessita de mão de obra especializada. Para a consolidação de um projeto, desde a atuação no escritório, passando pela qualidade de materiais utilizados na obra e terminando no acabamento, é fundamental a presença de um técnico em edificações.

técnico em edificação

O profissional dessa área é responsável em planejar a execução da obra, supervisionar sistemas construtivos, participar do controle tecnológico de métodos e materiais, com o objetivo de cumprir a legislação e normas específicas de saúde e segurança no trabalho. Num ambiente tão dinâmico, é comum haver muitas dúvidas sobre quais são as atividades que essa modalidade de trabalho exerce.

No escritório, o técnico trabalha com desenhos de projetos, especificação de materiais, define as equipes de trabalho, realiza pedidos de orçamento, cronogramas e faz negociações via telefone ou e-mail. Em campo, ou melhor, na obra, elabora projetos hidro-sanitários, de estruturas de concreto ou metálicas.

É no ambiente organizacional que ele atua cumprindo as ordens de serviço e distribui o trabalho entre operários. O foco principal é supervisionar a qualidade da obra e sua compatibilidade com normas técnicas. Para isso, é preciso que o profissional tenha uma visão global da obra, exigindo um senso de organização aguçado. Esse senso organizacional evita desperdício, atrasos por falta de material e aquisição de produtos de baixa qualidade.

No canteiro de obras, o técnico é responsável pela coordenação de equipes para que a obra não atrase, verificação de material entregue, para analisar se corresponde ao pedido, testar a qualidade, encaminhar para uso imediato ou estoque e aplicar as normas vigentes de higiene, segurança e meio ambiente. Um diferencial de quem atua nessa área é a capacidade trabalhar em equipe, gostar de cálculo e estar atualizado com as normas técnicas vigentes. Como o nível profissional é bastante exigido nesse setor, as empreiteiras pagam um salário condizente com tamanha responsabilidade.

O mercado de trabalho nesse ramo possui grande demanda de trabalhadores especializados, pela necessidade na conclusão de obras dentro do cronograma, garantir a segurança de funcionários e principalmente oferecer qualidade na construção civil, cujo setor está cada vez mais competitivo.

Para começar os estudos nessa área é preciso ter o segundo grau completo. O interessado em dar um passo na carreira da construção civil e aumentar a possibilidade de ganhos salariais e emprego precisa concluir um Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios, ou Tecnólogo em Construção de Edifícios.

 

Salários
De acordo com o levantamento salarial do Datafolha, realizado na cidade de São Paulo e Região Metropolitana, o rendimento médio fica entre R$ 2.962,50 e R$ 5.322,70, com média salarial de R$ 4.710,30. O rendimento supera a média de salário nacional, que está em média nacional de R$ 2.340. O salário médio de um estagiário dessa área é de R$ 737,00. O auxiliar técnico chega a R$1.200,00. Também existem concursos públicos para a área, com remuneração bastante variada. Além do salário inicial, o profissional pode receber benefícios e gratificações, atuando no setor público como técnico em edificações.

 

Sobre o autor: Jacqueline Gonçalo – Jornalista pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

 

Leia também:

Saiba como se tornar um corretor imobiliário associado Lopes

O que faz um consultor de vendas?

5 motivos para ser um corretor de imóveis





Compartilhe:

Sobre o Autor

Comentários não são permitidos.