3 opções para investir no setor imobiliário

0

investir no setor imobiliário

Para quem já conquistou o sonho da casa própria ou já comprou imóveis como investimento e quer continuar investindo no mercado imobiliário, aí vem uma boa notícia!

Muitas pessoas pensam que investir nesse mercado se resume à compra e venda de imóveis, mas não é bem assim. Existem outras opções que podem ajudar o investidor a potencializar seus ganhos para, até mesmo, comprar outros imóveis.

Então, qual é o motivo principal de buscar outros investimentos? Além de buscar uma forma inteligente de potencializar ganhos, é importante diversificar as modalidades onde você aplica seu capital. Isso dá mais segurança para quem investe, pois ajuda a proteger o capital. Assim, mesmo que aconteça algum imprevisto, o investidor terá um apoio para seguir em frente.

Com esse pensamento, vamos falar um pouco sobre 3 outras opções disponíveis no mercado que podem compor seu leque de investimentos. São elas:

  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI)
  • Fundos Imobiliários
  • Bolsa de Valores

 

Letras de Crédito Imobiliário

As LCI, como são conhecidas, são títulos de crédito utilizados para financiar o setor. É como você fizesse um empréstimo a uma instituição financeira que te devolverá o valor corrigido de acordo com o que foi acordado. É bem parecido com o acontece em outras opções de renda fixa.

Esses recursos serão usados para o financiamento imobiliário, como obras de construção e reforma. Por ser um investimento ligado à infraestrutura, o governo concede a isenção de Imposto de Renda a esta modalidade, o que é um ponto positivo para as LCIs.

Como são usadas para financiamentos, geralmente há uma dúvida sobre inadimplência. Se quem pegou o empréstimo não pagar, o que acontece? A resposta costuma trazer alívio. A inadimplência não afeta o investidor. Se quem pegou o empréstimo não pagar, o investidor não perde seu dinheiro. A responsabilidade fica para a instituição financeira.

Outra segurança da LCI é que ela é protegida pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que assegura o capital até R$250 mil por instituição e por CPF. Caso a instituição que você aplicou seu dinheiro venha a falir, o fundo te reembolsa o capital. Claro, dentro das normas estabelecidas. O que já é uma segurança e tanto!

A má notícia é que você não pode potencializar seus ganhos usando as LCIs como margem de garantia para investir em ações. Essa possibilidade vamos explicar melhor um pouco abaixo, quando estivermos falando sobre como investir na Bolsa de Valores.

 

Fundos Imobiliários

Para quem tem vontade de investir em imóveis, mas não tem o capital necessário para esse investimento, uma alternativa pode ser o Fundo de Investimento Imobiliário (FII). Nessa modalidade, algumas pessoas se juntam e fazem aplicações em algum empreendimento imobiliário de qualquer natureza.

De casa a hospital, de shopping a aeroporto, seja comercial ou residencial, esteja pronto ou ainda em construção. A intenção final pode ser alugar, arrendar ou até vender o imóvel num futuro próximo para obter lucros.

Cada investidor tem cotas, que são partes daquele investimento, mas não é possível resgatá-las. Se alguém decidir deixar o fundo, vai precisar vender as suas cotas para outra pessoa. Assim como ações, os FII são negociados na Bolsa de Valores e o investidor pode vender suas cotas por lá.

O risco desse investimento é a chamada vacância. Se o imóvel não conseguir ser alugado, os investidores ficam sem esse retorno. Há também o risco de o imóvel sofrer desvalorização, o que se torna mais uma forma de perder retorno financeiro.

Os FII não são protegidos pelo FGC. Portanto, vale analisar com calma caso a intenção seja aplicar um capital maior.

 

Bolsa de Valores

Outra opção de investimento no setor imobiliário é comprando e vendendo ações de empresas do ramo na Bolsa de Valores. Lá você pode encontrar empresas que abriram capital, como a construtora Rossi, por exemplo. Além de outras como MRV, Gafisa e Tecnisa.

A Bolsa de Valores tem prazos e modalidades para todos os gostos! De operações no longo prazo àquelas que podem durar apenas alguns minutos, como no famoso Day Trade. O mais interessante é que neste mercado, é possível conseguir boas rentabilidades.

Com cautela, disciplina e uma boa estratégia é possível ter grande sucesso. Não foi à toa que a Bolsa de Valores foi apresentada como o melhor investimento de 2016, já que trouxe o melhor retorno para os investidores no ano passado.

Outra vantagem que não pode deixar de ser citada é a possibilidade de usar outros investimentos em renda fixa como o Certificado de Depósito Bancário (CBD) e o Tesouro Direto como margem de garantia. Isso significa que o investidor pode aplicar seu capital em renda fixa e usar o mesmo dinheiro para fazer operações na Bolsa. Assim, é possível aproveitar a rentabilidade dos dois lados.

Se você gosta de investir no mercado imobiliário e quer ir além da compra de imóveis, essas podem ser opções bem interessantes. Não se esqueça de estudar e de fazer boas análises do mercado antes de iniciar suas aplicações.

Também é importante procurar pela ajuda e pelas recomendações de profissionais experientes do mercado. Eles são as pessoas mais indicadas para te orientar nesses momentos. Faça seu dinheiro trabalhar por você!

 

Este conteúdo foi escrito pela Equipe da Toro Radar – a maior empresa de análise, consultoria e educação em investimentos na Bolsa de Valores do Brasil.

 

investimentos-setor-imobiliario





Compartilhe:

Sobre o Autor

Comentários não são permitidos.