Mercado Imobiliário
Mercado Imobiliário

Conheça os termos mais falados no mercado imobiliário

Você já leu algum texto do mercado imobiliário e de repente se deparou com termos complicados que impediram a compreensão do texto? Se sim, você está no lugar certo. Criamos este post com o objetivo de melhorar a interpretação de textos do mercado imobiliário. Lembrando que, em muitas vezes, siglas dos mercados econômico e financeiro se misturam ao ramo de imóveis.

termos do mercado imobiliário

Conheça os termos mais falados no mercado imobiliário

FGTS

O FGTS é composto por 8% do salário do trabalhador, depositado mensalmente pelo empregador em uma conta da Caixa Econômica Federal até o dia 7 de cada mês. Esta conta não precisa ser solicitada pelo trabalhador e também não gera nenhum custo para o mesmo, pois é aberta automaticamente durante a primeira contratação em regime CLT. Caso o empregado mude de empresa, a conta permanece a mesma, sendo utilizada pelos futuros empregadores para os próximos depósitos do FGTS. Clique aqui e saiba mais sobre o FGTS.

IGP-M

O IGP-M (Índice Geral de Preços de Mercado) é utilizado como referência para contratos de aluguel, reajuste de tarifas públicas, planos de saúde e seguros de saúde. É medido pela FGV e registra a inflação de preços, desde matérias primas agrícolas e industriais, até bens e serviços, como a energia elétrica. No caso do aluguel, por exemplo, quanto maior a taxa do IGP-M, pior para os inquilinos. Mas, saiba aqui por que o IGP-M não é o único fator no reajuste de aluguel.

O cálculo do IGP-M, realizado entre o dia 21 do mês anterior e o dia 20 do mês de referência, é dividido entre:

  • 60%: IPA-M (Índice de Preço por Atacado do Mercado)
  • 30%: IPC (Índice de Preços do Consumidor)
  • 10%: INCC (Índice Nacional de Custos de Construção)

É realizada uma média ponderada entre os três índices citados acima e então é extraído o IGP-M.

 

Saiba mais: O que é uma Carta de Crédito Imobiliário

 

INCC

O INCC (Índice Nacional da Construção Civil) é calculado mensalmente pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e tem como objetivo avaliar as variações de custos na construção de imóveis. É levada em conta a variação de preços de materiais de construção, mão-de-obra e matéria prima. As médias são extraídas das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília.

O INCC é utilizado para reajustar o valor do imóvel durante a construção. Assim, as prestações, intermediárias, balões, valor das chaves e o saldo devedor são reajustados mensalmente e anualmente pelo INCC.

Inflação

A inflação, de modo geral, é o aumento de preços de bens e serviços de um município, estado ou nação em um determinado período. Sua medição é feita através de índices como o IPC e o IPCA. Os critérios de escolhas de produtos são da POF (Pesquisa de Orçamento Familiar) e através deles são realizadas diversas pesquisas com famílias e estabelecimentos, a fim de obter uma média da variação de preços.

A inflação indica, em porcentagem, quanto o trabalhador precisa ganhar a mais para manter o padrão de vida do ano anterior. A partir dela é possível realizar planejamentos e verificar quais os produtos e serviços que mais subiram de preço, além de ser utilizada como base de aumento salarial por diversas categorias.

A alta da inflação é caracteriza por vários fatores. Entre eles, o aumento do preço dos produtos; a grande procura por um produto que ficou escasso, encarecendo o custo de produção de uma mercadoria; o gasto superior à arrecadação por parte dos órgãos públicos; entre outros fatores.

Seu impacto na população é bastante relativo e dependerá de vários fatores, como quais os produtos e serviços consumidos pelas famílias, qual a renda mensal, em qual cidade mora, entre outros atributos.

Em geral, percebe-se a inflação através do aumento dos preços, diminuindo o poder de compra das pessoas. Assim, emite-se mais moeda para comprar um produto. Por exemplo, se o quilo do tomate em 2013 foi de R$5 e este ano subiu para R$8, significa que terei que ter R$3 a mais para comprar 1 quilo de tomate. Ou seja, preciso de mais dinheiro (moeda) para comprar o mesmo produto.

INPC

O INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) possui a mesma função que o IPCA, medir o aumento da inflação em determinada região. No entanto, o INPC é calculado entre famílias com renda média mensal entre 1 e 6 salários mínimos, diferentemente do IPCA, que é voltado para famílias com renda média mensal entre 1 e 40 salários mínimos.

As pesquisas são realizadas com famílias que se encaixam nesse perfil e com estabelecimentos onde são comprados e contratados os seguintes produtos e serviços:

  • Alimentação e Bebidas
  • Habitação
  • Artigos de Residência
  • Vestuário
  • Transportes
  • Saúde e Cuidados Pessoais
  • Despesas Pessoais
  • Educação
  • Comunicação

IPA

O IPA (Índice de Preços por Atacado) realiza a análise da variação de preços de produtos agrícolas e industriais, nos estágios anteriores ao consumo final. É um dos índices utilizados para compor o cálculo do IGP-M, responsável pelo reajuste do valor dos aluguéis.

 

Saiba mais: Financiamento imobiliário – Saiba como usar seu FGTS

 

 IPC

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) calcula a variação de preço de produtos e serviços básicos de sobrevivência e tem o mesmo objetivo que o IPCA. A diferença é que o IPCA mede esta variação, chamada de inflação, em 11 regiões, enquanto o IPC foi criado exclusivamente para a cidade de São Paulo. Atualmente, o IPC também é utilizado em outros estados.

O objetivo é realizar comparações entre os anos anteriores e acompanhar os índices de aumento de preços, chamado de inflação. O cálculo é feito a partir da obtenção dos preços de produtos e serviços básicos para a sobrevivência, que são:

  • Alimentação e Bebidas
  • Habitação
  • Artigos de Residência
  • Vestuário
  • Transportes
  • Saúde e Cuidados Pessoais
  • Despesas Pessoais
  • Educação
  • Comunicação

Apesar de ser trabalhoso, qualquer um pode medir o IPC familiar. São necessários pelo menos 2 anos de coleta de informações para se chegar à uma comparação.

Para chegar ao IPC, é preciso antes, calcular o (ICV) Índice de Custo de Vida, que reúne todo o gasto anual com os produtos e serviços básicos para sobrevivência, desde despesas com remédios até investimento em educação. Exemplo:

ICV (CUSTO DE VIDA) EM 2012: R$15.000,00

ICV (CUSTO DE VIDA) EM 2013: R$16.000,00

O cálculo é a divisão entre o ICV de 2013 e o de 2012. Na prática:

ICV = 16.000 / 15000 = 1,06

Agora, basta aplicar o valor na fórmula do IPC, que é:

IPC = ICV – 1 x 100

IPC = 1,06 – 1 x 100 = 6,66%

Ou seja, para manter o mesmo padrão de vida de 2012, seria necessário ganhar, em 2013, 6,66% a mais que no ano anterior.

IPCA

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) é um índice que calcula a inflação e tem como objetivo medir a variação de preço de produtos básicos de sobrevivência a nível nacional, que são:

  • Alimentação e Bebidas
  • Habitação
  • Artigos de Residência
  • Vestuário
  • Transportes
  • Saúde e Cuidados Pessoais
  • Despesas Pessoais
  • Educação
  • Comunicação

Estas variações são coletadas mensalmente através de pesquisas regionais, com famílias que ganham entre 1 e 40 salários mínimos. Na soma de 12 meses, totalizando 1 ano, esta variação representa a inflação do país, que é o percentual de quanto o brasileiro precisa ganhar a mais que o ano anterior para manter o seu padrão de vida.

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1979 e é utilizado desde 1999 pelo Banco Central do Brasil para comparar a inflação atingida no ano com as metas governamentais de inflação.

As pesquisas quanto ao índice do IPCA são realizadas nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Fortaleza, Belém, Curitiba, Brasília e no município de Goiânia.

 

Saiba mais: Juros simples ou composto?

 

SBPE

O SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos) é uma instituição que rege a operação da poupança e dos empréstimos, além de servir como carta de crédito no financiamento de imóveis residenciais usados, em até 35 anos.

SFH

SFH significa Sistema Financeiro da Habitação e foi criado pelo governo em 1964 com o intuito de financiar a construção e compra da casa própria e facilitar as transações imobiliárias. É o órgão que regulamenta regras no financiamento imobiliário, como o valor máximo de financiamento de um imóvel, que é de R$450.000,00, para esta modalidade SFH. Para imóveis que necessitam de um valor maior de financiamento utiliza-se o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário). Porém, o uso do FGTS no financiamento de imóveis só é válido para imóveis inseridos nas regras do SFH.

Taxa Selic

Uma das principais funções da Taxa Selic, que atinge o bolso do brasileiro diretamente, é a utilização por bancos, corretoras e lojas de crediário como referência mínima para a cobrança de juros. Ou seja, antes de o banco calcular os juros de um empréstimo, por exemplo, é observada a Taxa Selic como referência mínima para cobrança de juros. Se a Selic sobe, os juros cobrados em um crediário também sobem. Por este motivo, a Selic é chamada de taxa básica da economia brasileira.

O governo interfere diretamente no valor da Taxa Selic com diversos intuitos, bem como para controlar a inflação. Neste caso, se o crédito fica mais caro, o consumo diminui e os preços param de subir, evitando o disparo da inflação.

A Selic também é utilizada no reajuste de títulos públicos federais.

 

Veja também:

Qual é mais seguro Poupança ou Tesouro Direto?

4 dicas de como poupar dinheiro para comprar um imóvel

Tire dúvidas sobre amortização e financiamento imobiliário

LCI – Fomentando o mercado

 

Você pode gostar de ler também...

4 Comments

  1. Alisson Louzada says:

    Boa noite Gabriel!
    parabéns pelos esclarecimentos e quero aproveitar para sanar uma duvida.
    Estou para assinar um contrato com um empreendimento que será entregue até final do ano proximo 2016.
    Pergunta: se eu pagar como entrada toda a parte da construtora e financiar o restante estaria livre dessa taxa de incc?
    obrigado e muito sucesso…

  2. […] Clique aqui e conheça outros termos do mercado financeiro e imobiliário que podem lhe auxiliar. […]

  3. […] Além deste dado, a Lopes ainda possui os primcipais termos do mercado imobiliário, explicadinho para você. Acesse o nosso artigo com os termos mais falados do mercado imobiliário. […]

  4. […] Conheça os termos mais falados no mercado imobiliário […]

Comments are closed.