Salvador, Fortaleza e Recife apostam em imóveis na periferia
Conheça seu bairro

Salvador, Fortaleza e Recife apostam em imóveis na periferia

mapa basil regiao nordeste

A urbanização de áreas periféricas tem puxado novos negócios para empresários da construção que atuam em cidades como Salvador (BA), Fortaleza (CE) e Recife (PE). Impulsionados pela demanda reprimida de novos moradores, este mercado deve seguir em ascensão em dez anos.

“A cidade de Fortaleza cresce perifericamente. Os incorporadores viram que existe vida nesse mercado, o que viabilizou o nascimento desses novos polos para a construção. A prova disso é a construção de shopping centers nesses locais. Entre os polos, hoje estão os bairros de Parangaba, Jóquei, Benfica, Papicu e Guararapes”, disse o diretor da Lopes Immobilis, Ricardo Bezerra.

Segundo ele, esses locais começam a aparecer como oportunidade de negócio.

“A ausência inicial de concorrência apresenta preços mais atrativos e vantagens sobre a implantação de projetos de diversos formatos e tamanhos, prática mais difícil em bairros consolidados”, disse Bezerra.

Além da capital cearense, Bezerra afirma que a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) também aparece como apostas para quem tem interesse em construção.

“Esses novos polos concentram moradores e desenvolvem a região, criando também a necessidade de comércio e serviços. Isso também acontece em cidades como Caucaia, Maracanaú e Eusébio”, explicou. Em Recife, a construtora Linear sentiu mudança no traçado das construções.

“Vimos uma elevação no preço dos terrenos na região central de Recife, e então decidimos mudar o foco das construções para a Grande Recife”, diz o diretor de novos negócios da empresa, Sérgio Alves.

Entre as apostas da empresa, cidades como Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Igarassu, Abreu e Lima, Cabo de Santo Agostinho, Araçoiaba, Ilha de Itamaracá, e Moreno.

“Decidimos expandir nossos negócios para além da região central e obtivemos bons resultados. Fizemos um lançamento em Olinda e um em Igarassu, que foram vendidos em um mês em função do preço”, disse o executivo ao DCI.

Com terrenos comprados em Araçoiaba e Ilha de Itamaracá, o empresário projeta lançamentos para 2017.

“Acredito que até lá o mercado esteja ainda melhor nessas cidades, já que há perspectiva de investimentos públicos”.

Verticalização dos imóveis no Nordeste

Para o diretor de vendas da Lopes Bahia, Murilo da Rocha Correia, a cidade começa a ganhar fôlego apoiado na verticalização de polos imobiliários, o que abre oportunidades para incorporadores e construtores. “Um exemplo é o bairro de Jaguaribe, que é uma região horizontalmente já consolidada e agora está se verticalizando. Outros bairros que seguem o mesmo caminho são os da Graça e do Horto”, disse.

Na visão do executivo, com a economia crescendo menos do que o esperado, a vantagem do investidor que compra imóveis em locais em desenvolvimento imobiliário consegue preços melhores, com menos estoques. “O investidor que decide apostar em bairros menos conhecidos do mercado conta com a vantagem de poder lançar produtos com preços mais convidativos e investimento atrativo para futuras locações.”

Periferia puxa setor imobiliário no Nordeste
DCI – 01/10/2014

Você pode gostar de ler também...