copa do mundo e olimpiadas aquecem mercado imobiliario no Brasil
Estudos e Pesquisas

Copa do Mundo e Olimpíadas reaquecem mercado hoteleiro em 2012 e lançamentos comerciais continuam firmes

Foram 43% mais unidades hoteleiras, representando 3% do VGV do país.

 

Unidades hoteleiras e comerciais se consolidam como ótimo investimento. Foram 43% mais unidades hoteleiras, representando 3% do VGV do país. Salas comerciais são 16%.

 Eventos esportivos como a Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016 foram grandes incentivadores do mercado hoteleiro. Em 2012, o setor ganhou folego e registrou aumento de 43% em relação ao número de empreendimentos quando comparado ao ano anterior. De acordo com a segunda edição do Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro, desenvolvido pela Lopes, maior empresa de consultoria e intermediação de imóveis do país, foram lançados 30 empreendimentos em 2012, somando 6.667 unidades, 35 torres e R$ 2,1 bilhões em VGV. Avaliando a participação do VGV de hotéis no total lançado no país, o segmento representa 3% do mercado.  

Distribuídas por 17 cidades, as unidades estão concentradas, principalmente, na região Sudeste, com destaque para o Grande Rio de Janeiro que recebeu 1.663 unidades, seguido da Região Metropolitana de São Paulo (1.557) e Belo Horizonte (1.431). 

“Ainda há no país uma grande demanda por hotéis e flats, o que mantém uma perspectiva positiva em relação ao futuro do setor. Além das cidades escolhidas como sede dos grandes eventos esportivos, outras regiões também devem absorver essa oferta e manter a demanda em equilíbrio”, afirma Mirella Parpinelle, Diretora Geral de Atendimento da Lopes.  

Já os lançamentos de conjuntos comerciais representaram 16% do VGV total lançado nos principais mercados brasileiros, o mesmo percentual em unidades e 12% do número de empreendimentos. Com preço mediano por metro quadrado em torno de R$ 8.500, a maioria dos conjuntos foi lançada na Região Metropolitana de São Paulo e Grande Rio. Juntas, elas representaram 54% do total do país, ou 16 mil de 30 mil unidades. No total, foram lançados 163 empreendimentos com 195 torres somando um VGV de R$ 11 bilhões.  

As regiões que mais receberam conjuntos comerciais em relação a 2011 foram: Recife, Santos, Campinas, Belo Horizonte e Fortaleza.  

“Hoje, o grande atrativo empreendimentos comerciais são aqueles que estão inseridos em um complexo que une vida-trabalho e lazer, os chamados mix and use, onde o ideal é estar perto de uma boa infraestrutura de transporte e vias de acesso aos principais bairros da região”, conclui Parpinelle.

Você pode gostar de ler também...