Mercado Imobiliário

3 diferentes formas de se investir em imóveis e suas principais vantagens [Guest Post]

Você sabia que o mercado imobiliário é repleto de oportunidades de investimentos?

Pensa ou já pensou em investir nesse mercado para diversificar a sua carteira de ativos?

Acredito que sim.

Afinal de contas, o investimento imobiliário é um dos investimentos preferidos dos brasileiros.

Não à toa: essa foi a classe de ativos com um excelente desempenho histórico no passado.

Dentre os diversos fatores que corroboram com esse crescimento, o que eu destaco como principal foi o crescimento exponencial das periferias das grandes cidades brasileiras ao longo do século XX.

Independentemente dos motivos, a verdade é que é muito importante, para qualquer carteira de investimentos, ter uma certa exposição a essa classe de ativos.

Afinal, ela proporciona grandes possibilidades de você fazer o seu patrimônio se multiplicar através dos juros compostos.

Por isso, nesse artigo eu separei 3 formas de como investir em imóveis.

Vamos a elas!

Forma #1 – Investimento Direto em Imóveis

investir em imóveis

Essa é a forma mais comum de se investir no mercado e a sua lógica é bem simples.

Funciona mais ou menos assim:

O investidor interessado pesquisa por oportunidades nesse mercado e, quando ele acha um imóvel que ele julga ser barato, ele o compra com o intuito de revendê-lo num dado momento no futuro e auferir um lucro com essa operação.

Dentro dessa modalidade, existem algumas estratégias mais refinadas, como investimento na planta e house flipping.

Investimentos na planta costumam funcionar muito bem porque o comprador assume para ele um risco, que é o da obra atrasar e do imóvel investido não vingar.

Assim como toda a operação de investimentos, existe uma relação proporcional entre risco e retorno: quanto maior o risco assumido, maior o retorno.

Dessa forma, esse investidor, por assumir esse risco, consegue comprar os imóveis a um preço consideravelmente inferior ao preço de lançamento da incorporação, quando esta for concluída.

Resultado: ele é recompensado sob a forma de lucros.

Já no caso de house flipping, a lógica é um pouco diferente.

Aqui, o investidor procura um imóvel em más condições para adquirir.

Uma vez adquirido, o investidor promove reformas estruturais no imóvel, fazendo com que o mesmo fique em excelentes condições para um futuro comprador.

Isso envolve ações como a troca de pisos, pintura, compra de mobília, etc.

Uma vez finalizada a reforma, o investidor vende o imóvel “pronto para morar” e, por conta dessa comodidade oferecida e valor agregado, pede um preço que cubra os custos que ele teve com a reforma e lhe garanta um lucro adequado para a operação.

Operações como essa ficaram bastante conhecidas no mundo afora em programas de televisão, como o “Irmãos à Obra”.

Dentre as principais vantagens desse tipo de investimento, eu destaco duas:

  • A flexibilidade que o investidor possui ao seguir as suas estratégias; e
  • A baixa volatilidade do investimento, sobretudo se comparado a outras classes de ativos.

 

Forma #2 – Investimento em Imóveis via Ações de Empresas do Setor Imobiliário

investir em imóveis

Você sabia que é possível realizar investimentos indiretos no mercado imobiliário através de ações de empresas listadas em bolsa?

Sim!

Esse é um formato bastante diferente de investimento em imóveis, mas que proporciona ao investidor uma grande diversidade de opções e a oportunidade de se tornar sócio de empresas do setor imobiliário.

Além disso, é um formato bastante democrático: atualmente, você consegue comprar e vender uma ação com pouco mais de R$ 1.000,00 e sem sair de casa.

Uma das opções de investimentos, aqui, seriam nas próprias ações da Lopes.

Mas enfim: existem tantas empresas do setor imobiliário listadas em bolsa que a BM&FBovespa (hoje, B3) desenvolveu um índice composto apenas por empresas do setor: o Imob.

O imob nada mais é do que uma carteira teórica de ativos que possui, na sua composição, as ações das seguintes empresas:

  • Aliasse
  • Malls
  • Properties
  • Cyrela
  • Direcional
  • Even
  • EzTec
  • Gafisa
  • Helbor
  • Iguatemi
  • JHSF
  • MRV
  • Multiplan
  • Rossi
  • Tecnisa

O desempenho histórico do Imob segue abaixo:

investir em imóveis

 

Dentre as principais vantagens desse formato de investimento em imóveis, destacamos a facilidade na formação e desmobilização da carteira de investimentos.

Como as ações das empresas possuem liquidez na bolsa, é muito fácil criar e liquidar uma posição de investimento nesses ativos.

Outra vantagem bastante interessante é a possibilidade de investimento com pouco dinheiro, principalmente se comparando ao investimento direto em imóveis.

Entretanto, aqui eu gostaria de fazer um alerta.

Tenha MUITO CUIDADO ao investir em ações. Entenda, antes de mais nada, como a bolsa de valores funciona e como você deve fazer para aprender a investir na bolsa.

Por isso, sugiro esse guia completo do Clube do Valor: Como Investir na Bolsa de Valores: Tudo Que Você Precisa Saber Para Começar.

 

Forma #3 – Investimento em Imóveis via Fundos Imobiliários

investir em imóveis

Fundos imobiliários são fundos de investimentos que possuem, na sua carteira, imóveis.

Essa é outra excelente maneira de realizar seus investimentos no mercado imobiliário.

Estes fundos são listados em bolsa de valores, como se fossem ações.

Assim, a facilidade de investimento é o mesmo do mercado de ações: basta ter uma conta numa corretora de valores e mais ou menos R$ 1.000,00 para começar a investir sem sair de casa.

A grande diferença desse formato de investimento para os dois anteriormente citados é o fato de que o foco dos fundos imobiliários é gerar uma renda passiva para seus investidores.

Aqui, o ganho do investidor não é exclusivamente realizado ao vender o imóvel ou ao vender as ações por um preço superior ao adquirido.

Os fundos imobiliários possuem a prerrogativa de ter que distribuir 95% do fluxo de caixa gerado pelos imóveis em sua carteira.

Além disso, o foco dos FIIs é de gerar renda com o aluguel desses imóveis.

Ou seja: uma excelente forma de diversificar, também, a forma de remuneração ao se investir no mercado imobiliário.

Como os principais pontos positivos desse formato de investimentos, destaco a facilidade de montar e de desmontar a sua carteira e, também, a grande previsibilidade de fluxo de caixa gerado.

 

CONCLUSÃO

Independente da forma com a qual você opta por investir em imóveis, apenas uma coisa é certa: essa é uma classe de ativos bastante importante para qualquer carteira de investimentos.

Espero ter exemplificado de forma clara e objetiva, sem conflitos de interesses, três formas muito boas de se investir nesse mercado.

Se você gostou desse artigo, então tenho certeza que você gostará dos artigos sobre como investir dinheiro do Clube do Valor.

Te espero por lá!

Grande abraço,

Ramiro

 

-Ramiro Gomes Ferreira, CGA, gestor de investimentos credenciado pela CVM e autor do blog Clube do Valor

 

 

Veja também:

Investimentos Imobiliários: Investir em um imóvel ou em fundo imobiliário?

Terreno é um bom investimento?

3 erros comuns na compra do primeiro imóvel

 

Você pode gostar de ler também...